21 de março de 2017

Mínimos Oratórios d'Água para Guardar Hojes



Mar de Gibaltrar

XXVIII - do catálogo das águas -

Partícula é a noite
do silêncio todo em que me instalo.
Pacífica de amparo,
protocolo ampolas marítimas de ilhas,
no preclaro catálogo das águas.
E me restauro. Mínima.

Anônima de critérios mais amplos
para a expansão das orquídeas
líquidas... cardíacas. Salinas.

Insulinas lunares, de ex-cores e pétalas,
raiam nas penínsulas libertas, das artérias. Ibéricas.

Cápsulas de sonos, distâncias e mísseis.

Ouço em soluço, florais de Bach,
para ninar pequenos apocalipses.

Música molecular. Rememos!
Remúsculo do mar ao vento dos veleiros.

Nós tínhamos o dia inteiro
para o velório involuntário das horas.
- Nunca o fizemos. -

E os cavaleiros atlânticos...
já quânticos de espera,

pastoreiam
em específicos recifes de espelhos,
cifrados para sonho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário